Conhecendo um arquiteto – Ricardo Weissheimer

Para comemorar o dia do arquiteto, pensamos em escrever sobre o perfil do arquiteto das Construtoras e Incorporadoras Weissheimer e Duomi: uma visão sobre um profissional que atua sob a perspectiva de interpretar o que as pessoas precisam para viver nos novos “tempos modernos”.

Ricardo é um rapaz simpático, de fala baixa e contido. É educado, gentil e costuma manter uma distância calculada das pessoas. Ao ver seu primeiro projeto profissional (exclusivamente assinado por ele), podemos constatar que ele tem um pensamento complexo e estabelece um formato abrangente onde prioriza o viver das pessoas, tenham elas as mais diferentes “expectativas”. Seu empenho é sempre buscar privilegiar a todas…

Desta forma, fizemos algumas perguntas que acreditamos ser relevantes. Imaginamos fazer um artigo contemplando o conteúdo, mas com uma surpresa muito boa, as respostas revelaram uma pitada tão forte dele mesmo que optamos em manter o formato de entrevista:

POR QUE ESCOLHEU SER ARQUITETO?

Desde pequeno sempre fui um pouco mais sensitivo e criativo em relação aos meus colegas. Gostava de redesenhar meus personagens de desenhos animados favoritos sobre papel manteiga (tenho até hoje um livro guardado com diversos desenhos).

Um dos motivos que tenho certeza que me fizeram escolher essa profissão foi porque cresci no mundo da construção civil (Weissheimer Engenharia). Lembro também de adorar sair junto com meu pai quando ele ia acompanhar as obras. Eu nunca fui de ter muito medo de altura ou de me machucar na obra. Claro, meu pai tinha que ficar com um olho cuidando a obra e outro cuidando de mim….

Uma coisa que gosto de dizer é que meus pais não me “forçaram” na escolha da minha profissão. Foi uma decisão que foi tomando força aos poucos. Com o passar do tempo e no momento da escolha, surgiu forte a vontade de ser arquiteto.

QUAL SUA ESPECIALIDADE EM ARQUITETURA?

Na Duomi e na Weissheimer somos nós mesmos que fazemos e desenvolvemos os projetos das edificações. Cada projeto é pensado e desenvolvido com a sua peculiaridade e olhado nos mínimos detalhes. Gosto muito de desenvolver e imaginar como ficará cada nova edificação.

O QUE É PARA VOCÊ UM BOM DESIGN ARQUITETÔNICO?

Durante minha formação acadêmica houve uma frase de um famoso arquiteto chamado Louis Sullivan que acredito que responda bem essa pergunta: “A forma segue a função” (form follow function). A ideia é que o conjunto arquitetônico e seu design devem atender ao seu propósito final, bem como as atividades que serão desenvolvidas em cada edificação.

QUE ÉPOCA HISTÓRICA DA ARQUITETURA MAIS TE FASCINA?

Tenho duas épocas históricas que me fascinam.

A primeira é considerada por alguns autores como berço de toda arquitetura mundial: A Arquitetura Clássica que é composta pela arquitetura grega (século VIII a.C.) e pela arquitetura romana (século II a.C). Durante esse período histórico foi o início da criação de templos, arcos triunfais, estradas, infraestrutura básica das cidades, teatros, etc.. Acho fantástico o que as pessoas daquela época conseguiam pensar, criar e fazer com uma tecnologia tão precária se compararmos com a tecnologia atual.

A segunda época histórica que me fascina é a atual Arquitetura Contemporânea, com início da década de 80. Com o avanço e o desenvolvimento das ideias e da própria tecnologia, é possível criar belos projetos arquitetônicos: simples, funcionais, e muito mais sustentáveis. Onde, na teoria, todo o projeto preza pela funcionalidade e pelo conforto do seu usuário final.

QUE ARQUITETOS VOCÊ ADMIRA: HISTÓRICOS E CONTEMPORÂNEOS?

Existem centenas de arquitetos famosos e consequentemente milhares de projetos arquitetônicos com sua excelência e importância histórica. Pessoalmente, prefiro nomes mais contemporâneos e quando me fazem essa pergunta normalmente me vêm à cabeça nomes como Norman Foster, Zaha Hadid, Renzo Piano, Frank Lloyd e Tom Wright.

COMO VOCÊ SE SENTE EM RELAÇÃO AO SEU TRABALHO NA SUA EMPRESA DUOMI INCORPORAÇÕES, E NA WEISSHEIMER ENGENHARIA QUE É ASSOCIADA A ELA?

Amo o que faço e sempre procuro melhorar e trazer o bem-estar, tanto na área profissional arquitetônica como na administrativa e, até mesmo, na área pessoal. Já fiz diversos cursos e pretendo continuar fazendo e estudando para melhorar cada vez mais nessas áreas. Gosto de dizer que na Duomi e na Weissheimer nós não apenas projetamos prédios, mas analisamos todo o contexto de cada projeto para que seu foco esteja na forma funcional para cada futuro morador daquele lugar. Temos o poder de conseguir mudar o dia a dia das pessoas para melhor.

SE PUDESSE, VOCÊ PROJETARIA…

Nunca pensei nessa hipótese… Talvez um resort à beira-mar.

¯\_(ツ)_/¯

COMO VOCÊ SE IMAGINA PROFISSIONALMENTE DAQUI A 10 ANOS?

Com toda a certeza projetando e desenvolvendo novos produtos – sempre melhores e realizando novos sonhos para os nossos clientes!

QUE OBRA ARQUITETÔNICA DA ATUALIDADE TE ENCANTA E ONDE FICA?

Difícil escolher apenas uma obra arquitetônica, até porque ainda tenho uma lista enorme de lugares que não visitei e quero conhecer. Uma viagem recente que fiz e que me marcou bastante em relação à arquitetura do lugar é a cidade de Toronto, no Canadá. Lá tive o privilégio de subir na CN Tower – torre turística com mais de 500 metros de altura e me deslumbrar com a vista de toda a cidade em 360º. Realmente, foi uma excelente experiência.

PERGUNTA LIVRE PARA O QUE ACHARES QUE PODES ME CONTAR… VIDA PESSOAL, OU…

Quando um tópico é tão livre assim fica difícil de responder… hehehe.
Mas vamos lá…

Falar de casamento em 2021 fica difícil de ter qualquer previsão por causa da pandemia… Mas eu e minha namorada Carol estamos muito bem e bem confiantes com nosso relacionamento. Tanto que recentemente adotamos até um gato (quem diria?!…). Ele tem apenas 3 meses de vida e se chama Théo (tembém chamo ele de “atentado”, pois ele não para quieto… kkk).

Gosto de tomar uma cerveja com amigos assistindo algum jogo do Grêmio, mas claro que nos últimos meses tenho ficado sem muitas relações ou acompanhado da Carol e/ou família, por causa da Covid.

Até por este recolhimento, ultimamente estou desenvolvendo cada vez mais minha vontade de viajar e conhecer novos lugares. E, sinceramente, tanto faz ser for um lugar com vistas paradisíacas ou que tenha apenas edificações arquitetônicas que marcam o lugar ou, ainda, que não tenha nenhum propósito espetacular. Acredito que o importante é conhecer tudo o que pudermos no mundo e do mundo de uma forma geral. Isso nos dá uma nova dimensão de vida e uma maior capacidade de sermos melhores como pessoas e como profissionais.